31 de julho de 2010

Resenha - Once Dead,Twice Shy da Kim Harrison

Meu nome é Madison Avery, e eu estou aqui para dizer que há mais lá fora do que você pode ver, ouvir ou tocar. Porque eu estou lá.

Vendo.

Ouvindo.

Tocando.

Vivendo isso.
Madison Avery foi assassinada - literalmente. Por alguma razão ela tem sido alvo de um ceifador negro - com a intenção de se livrar de seu corpo e alma. Mas antes do ceifador terminar o trabalho, Madison foi capaz de roubar seu amuleto estranho e brilhante .
Agora ela está presa na Terra – mas não morta. De alguma forma, o amuleto lhe dá a ilusão de um corpo, permitindo que fique na linha entre a vida e a morte. Ela ainda não sabe por que o ceifador negro está atrás dela, mas ela não está a ponto de sentar e deixar o destino seguir seu curso. Com um pouco de ingenuidade, alguma luz de reflexão, e com a ajuda de um ceifador branco (um dos bons rapazes! Talvez ...), um garoto bonito, e oh yeah, seu anjo da guarda, Madison está pronta para assumir o controle de seu própria destino de uma vez por todas, antes dele tomar o controle dela. Bem, se ela acreditar nessas coisas.


~*~



Primeiramente preciso dizer que o livro pode ficar bem confuso no começo pra quem não leu o conto da Kim Harrison do livro Formaturas Infernais, pois ele explica todo o começo da história, como aconteceram algumas coisas e etc, e eu só fui ler o aviso quando estava no capítulo cinco, ai vai lá a lerda da Larissa reler o conto pra lembrar o que acontecia. Mas okay, depois de lido você pega no tranco (?) da historia e entende tudo! Portanto eu terei que contar um pouco do conto antes de entrar na história do livro Once Dead, Twice Shy :D

No conto conhecemos Madison Avery, uma garota de 17 anos (recém completados) que é morta por um cara maravilhoso, quando está indo embora do baile no carro dele. Na verdade, ela vai ao baile com outro, Josh (um cara super legal, como descobrimos depois), e vai embora, do nada com o Seth – causador de sua morte. Idiota u.u Tive muita vontade de bater nela, sério. Mas foi culpa do destino (ou como Madison adoraria me contrariar agora, foi culpa da escolha dela, e não do destino). Pois bem.
Acontece que Madison consegue voltar a circular pela terra sem ser um fantasma; ela fica sólida. Tudo isso graças ao amuleto que ela roubou do ceifeiro negro culpado por sua morte (sim, o próprio Seth). Se não fosse esse amuleto, Madison não conseguiria fugir do necrotério e voltar com sua vidinha normal, acompanhada de seu colega ceifeiro branco, Barnabas, que tinha o dever de protegê-la da morte, e falha feio; E, após sua ‘morte’, tem o trabalho de apagar a memória de todos aqueles que souberam do acidente, como o pai dela e Josh.
No livro, ele então começa a ajudá-la a entender o que se passa, e quer ensinar umas coisas pra ela, como se comunicar com ele, caso precise de ajuda. Pois as asas negras estão atrás dela, de sua alma para ser mais precisa. Para fazer o serviço completo, digamos assim.
E ela também precisa recuperar seu corpo, que ficou com Seth, e descobrir um modo de voltar pra ele e pra sua vida normal, como era antes de tudo isso acontecer.
Soo, boa sorte Madison ^^

Mas sério, leiam porque o livro é super legal, fala de anjos, ceifeiros, anjos da morte... é um tema que está em alta, e que eu acho muito interessante. Leiam que vale a pena!

Pra comprar: Cultura

7 comentários:

Claudinha WCX \o/ disse...

nossa, parece mtoooooo bom o livro, mas o preço + frete desanima ...

Ana Elisa disse...

Parece ser muito bom esse livro. Será que alguma editora vai lançar aqui no BR?

Carol disse...

Olha, não sabia que o livro tinha a ver com o conto!

Anastácia disse...

Eu li 'Formaturas infernais' e até li que o conto tinha uma continuação. Nem me interessei porque não tinha gostado muito do conto mas agora que li a sua resenha, não sei o porquê, me lembrei de Supernatural, e eu AMOOOOO Supernatural, então agora eu fiquei com vontade de ler esse livro.
Só uma coisa: o livro é melhor que o conto?

Lari Caldieri disse...

Ana Elisa, eu não sei se alguma editora vai publicá-lo aqui não... mas quem sabe, vamos pedir! kkkk

Pois é, Carol eu só fui me tocar quando tava lendo o livro! hehe

hahaha, que bom Anastácia! E realmente, essa coisa de ceifeiros, lembra bem Supernatural. Foi a primeira coisa que me veio a cabeça quando li a palavra! <3 Supernatural é amor kkkkk
Olha, o livro é sim muito bom! Eu gosto tanto do conto quanto do livro ^^ Mas não sei, só lendo mesmo pra você saber.

Polie disse...

Parece muito bacana o livro, já tinha ouvido falar, mas nunca soube como era a história. =D
gostei ^^

:*

Dandra disse...

Não dá um certo medo esse livro?

Muito tensa a estória, mas fiquei curiosa.

Tem um selinho pra vc lá no meu blog!

Bjs